sábado, julho 21, 2007

Recebido de Anabela Carvalho, Universidade do Minho

for Papers

"Communicating Climate Change: Discourses, Mediations and Perceptions"

A conference to take place on 19-20 November 2007
at the University of Minho, Braga, Portugal

Climate change is currently a prominent scientific, political, economic and
civic issue with key implications for our common future(s). It mobilizes a
variety of social actors and has figured highly on media agendas for around
two decades.
The communication of climate change within and across the "boundaries" of
science, politics and economics, and between expert and non-expert publics,
poses a series of key questions for research.

How is climate change framed and reframed by social actors such as
scientists, policy-makers and environmental activists?
How have the media represented climate change in the last two decades?
What is the relation between media(ted) discourses and people¹s
understanding of climate change?
What can we learn from cross-national comparisons?
To what extent are representations of climate change culturally-bound?

This conference aims to analyse the connections between discursive and
social representations of climate change. It will discuss the meanings of
climate change in the discourses of various social actors, media(ted)
discourses, and citizens¹ views on the issue.

The conference is associated with the project "The Politics of Climate
Change: Discourses and Representations", funded by Fundação para a Ciência e
para a Tecnologia: http://www.cecs.uminho.pt/disclimate/Site-en1.htm

Besides papers that focus specifically on the links between the discourses
of social actors, media discourses and people¹s interpretations of climate
change, the submission of abstracts on the following topics is welcome:

- Representations of scientific knowledge on climate change in various types
of texts
- Reconstructions of climate change in political and business discourses
- Communication practices in climate change activism
- Media discourses on climate change (written, visual, electronic,
multimedia)
- Web-based communication of climate change for non-expert publics
- Social representations of climate change
- Citizens¹ perceptions, attitudes and behaviours in relation to the issue.

Invited speakers (confirmed):

Jacquie Burgess, University of East Anglia, United Kingdom
Irene Lorenzoni, University of East Anglia, United Kingdom
Hans Peter Peters, Jülich Research Center, Germany
Sheldon Ungar, University of Toronto, Canada

Organization: Anabela Carvalho, Centro de Estudos de Comunicação e
Sociedade, University of Minho

Abstracts of 250 words should be emailed to carvalho@ics.uminho.pt by
September 5. A decision on the acceptance of abstracts will be communicated
to authors a week later.

A CD-ROM and possibly other publications will result from the conference.

The conference will attempt to be a low-carbon initiative.
It will include walking tours of the historical cities of Braga and
Guimarães.

Please disseminate this CFP to any colleagues that might be interested.

terça-feira, julho 10, 2007

CURSO CINEMA DOCUMENTAL

"Cinema Documental: A Imagem e a Significação" é o tema de um curso intensivo e em horário pós-laboral que a Escola de Jornalismo do Porto promove de 16 a 26 de Julho corrente.

O jornalista e programador Jorge Campos é o coordenador-geral deste curso que compreende, no total, 24 horas de aulas.

Os potenciais destinatários são os profissionais de informação e comunicação social, professores, técnicos e estudantes das áreas de cinema, televisão, imagem e som. A inscrição, entretanto, está aberta não só a profissionais, docentes e estudantes, mas também ao público em geral.

De acordo com o coordenador geral do curso, será proposta aos participantes "uma reflexão sobre a imagem e os mecanismos de construção da realidade, confrontando a previsibilidade do discurso jornalístico com o olhar dissidente do filme documentário".

"A minha abordagem - acrescenta Jorge Campos - recorrendo embora à contextualização, exige fundamentalmente o confronto das imagens e, por isso, inscreve-se num contexto de programação".

Este curso decorre na cidade do Porto já nos próximos dias 16, 17, 18, 23, 24, 25 e 26 de Julho, todas no horário das 18h30 ás 21h30 , pelo que as inscrições encontram-se abertas e podem ser efectuadas em www.esj.pt ou pelo telefone 226 062 653.

segunda-feira, julho 09, 2007

Recebido da SPCE

Caros senhores,
venho por este meio solicitar a divulgação do seguinte anúncio de contratação de doutorados aberto até 30 de Agosto de 2007 na Unidade de Investigação Educação e Desenvolvimento (UIED www.dcsa.fct.unl.pt/uied ) ao abrigo do Programa Compromisso com a Ciência 2007 ( www.fct.mctes.pt/contratacao/edital/ ).




ASSISTANT RESEARCHER in Education
Applications are invited for an ASSISTANT RESEARCHER in Education. The researcher must be fluent in spoken and written Portuguese and English. Applicants must have a doctorate in education and/or social sciences. Research experience on higher education, adult learning and European educational policies is required. The Bologne process is expected to impact on higher education in Europe. The UIED sub-program "Research on higher education" has produced a consistent string of results on this area, that springs from master and doctoral dissertations, and national and international projects. Results have focus on life-long learning, trajectories of education from former university students, the organization of models for educational strategies for young people and adults, and experiences on formal accounting of professional experience as a learning process. The relevance of this topic, together with the need for multidisciplinary approaches, justifies the opening of this position, especially due to the lack of comparative expertise elsewhere. The following duties are expected: (a) Cooperate with research activities carried out by the members of the specific program, namely theoretical research, conducting field work, writing analyses and conclusions. (b) Communicate research activities by cooperating in writing reports, research proposals, articles, chapters of books, or presenting papers. (c) Occasionally conduct seminars or short courses at the masters or doctoral level on their field of expertise.

Informações:
http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=6174


ASSISTANT RESEARCHER in Mathematics Education
Applications are invited for an ASSISTANT RESEARCHER in Mathematics Education. The researcher must be fluent in spoken and written Portuguese and English and have a background on the understanding of social phenomena, as they relate to mathematics teaching and learning that will reinforce current expertise in mathematics learning, broadening the theoretical basis and incorporating knowledge from other grade levels is necessary, for successful intervention in classrooms. More specifically, the following duties are expected: (a) Cooperate with research activities carried out by the members of the specific program, namely theoretical research, conducting field work, writing analyses and conclusions. (b) Communicate research activities by cooperating in writing reports, research proposals, articles, chapters of books, or presenting papers. (c) Occasionally conduct seminars or short courses at the masters or doctoral level on their field of expertise or as part of their research activities. Applicants must have a doctorate in mathematics education. Research experience in the study educational phenomena under a historical, social or anthropological framework is required.

Informações:
http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=6172
ASSISTANT RESEARCHER in Science, Mathematics
and Computers in Education
Applications are invited for an ASSISTANT RESEARCHER in Science, Mathematics and Computers in Education. The researcher must be fluent in spoken and written English. Applicants must have a doctorate in any area of the physical sciences or mathematics, or in sciences or mathematics education. They must also have a deep knowledge of the use of scientific software, namely Computer Algebra Systems, Modelling Systems, Dynamic Geometry, etc. Applicants must also have a working knowledge of tools for electronic editing of scientific documents as well as knowledge about literature on the educational use of computerised environments in science and mathematics. The development of research at the program "Education and technologies" is deemed necessary given the importance of educational methodologies making use of computational approaches. UIED has already a tradition on this area, for its researchers have developed key software components for the educational enterprise and been at the forefront of innovative methodologies. The following duties are expected: (a) Cooperate with research activities carried out by the members of the specific program or sub-program, namely theoretical research, conducting field work, writing analyses and conclusions. (b) Communicate research activities by cooperating in writing reports, research proposals, articles, chapters of books, or presenting papers. (c) Occasionally conduct seminars or short courses at the masters or doctoral level on their field of expertise or as part of their research activities. (d) Participate, and eventually conduct, seminars on learning science and mathematics with computational modelling. (e) Cooperate with on-going financed European projects on learning and teaching with computational modelling tools. (f) Cooperate in the analysis of curricular innovations in Portugal and abroad. (g) Cooperate in the development and evaluation of educational materials produced in Portugal and abroad. (h) Cooperate in the development of the scientific software Modellus. (i) Cooperate in writing research proposals.


Informações:
http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=6175


O Coordenador Científico

sábado, julho 07, 2007

EMVIADO POR ANTÓNIO BROTAS

7 de Julho de 2007

Ex. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Leiria

Fui ontem a Leiria participar num debate promovido pela Juventuda Socialista sobre o Aeroporto da Ota no anfiteatro do Instituto Politécnico.

Embora levasse um desenho com a localização do anfiteatro levei quase um quarto de hora às voltas pela cidade antes de lá chegar.

Os deslocamentos de um automobilista chegado a uma cidade seriam incomparavelmente mais faceis se as Câmaras adoptassem a medida simples de numerar as rotundas e, nas próprias rotundas e nas suas saidas, indicassem de um modo visivel o respectivo número e os números das rotundas vizinhas.

Estou certo que todos os turistas e visitantes de Leiria reconhecerão a utilidade de um mapa da cidade com as rotundas numeradas. Até pelo telefone será facil indicar-lhes o tra jecto para chegarem a um destino.

Terei um imenso gosto se um dia vistar Leiria e receber um mapa com as rotunda numeradas. Terei igualmente gosto se outras cidades do país adoptarem esta medida que, com o meu conhecimento, não é adoptada em nenhuma cidade.

Com os meus melhores cumprimentos

António Brotas

brotas@fisica.ist.utl.pt

PS- Envio-lhe a seguir os resumos de duas curtas intervenções que fiz ontem no encontro: " Ota, solução ou problema?"



1ª Intervenção

O governo criou em 1998 a NAER com o encargo de estudar e assegurar a construção do NAL (novo aeroporto de Lisboa) impondo-lhe desde logo a localização na Ota, ou no Rio Frio.

A NAER abriu um concurso para escolher um consultor tendo sido escolhido os Aeroports de Paris (ADP).

Os ADP indicaram três implantações possiveis para o NAL (duas no Rio Frio e uma na Ota) e fizeram uma listagem de estudos parciais EPIAs (Estudos Preliminares de Impacto Ambiental) que teriam de ser feitos.

Foi escolhida um conjunto de especialistas coordenados pelo Professor Fernando Santana, da Universidade Nova de Lisboa, para elaborarem estes EPIAs. Depois de 1999 estes EPIAs não foram continuados nem actualizados .

Tenho aqui o resumo do EPIA relativo à OTA.

Com base neste documento e nalgumas informações adicionais vou indicar 7 questões que desconselham fortemente hipótese da Ota:
A localização do NAL na Ota permite a construção só de duas pistas que nunca poderão ser aumentadas . O espaço para estacionamento de aeronaves é também muito limitado. Se for construido o aeroporto na Ota o país necessitará dentro de uns 30 anos de um novo aeroporto que não se vê como poderá ser construido. Entretanto, o nosso desenvolvimento aeronautico será atrofiado porque a Ota não poderá servir para um hub internacional de cruzamento de grandes rotas internacionais.
A construção do NAL na Ota obriga a uma movimentação de cerca de 60 a 70 milhões de metros cúbicos de rochas e terras (cerca de 1/5 do volume da Muralha da China).
A construção do NAL na Ota obriga a desviar ou canalizar a Ribeira do Alvarinho e a dar bastante atenção a outras duas. Em qualquer caso, se for feito o aeroporto da Ota, será, com a excepção de algumas grandes barragens, a maior construção da Europa e possivelmente do Mundo em leito de cheia .
Houve uma lacuna nos estudos de 1999. Não não parece ter sido notado que, além dos problemas referidos nos itens anteriores, era necessário consolidar os terrenos argilosos do leito das ribeiras. Fui alertado para este problema pelo Professor Diogo Pinto responsável pela construção do aeroporto de Macau. A NAER só se terá dele apercebido em 2003. Encomendou então um estudo à empresa Parsons. No relatório elaborado por esta empresa recentemente divulgado (há poucos meses) é indicado que a consolidação dos terrenos (numa profundidada da ordem dos 25 metros) deverá ser feita por meio de 250 mil estacas de brita com 90 cm de diâmetro e com um comprimento total de 3.000 km. Que eu saiba, ainda não foi feita por engenheiros portugueses uma apreciação cuidada e crítica deste trabalho, mas há especialistas portugueses com experiência deste tipo de trabalhos que pensam que outros processos de consolidação poderão ser preferiveis.
Do ponto de vista puramente aeronautico, um aeroporto na Ota tem inconvenientes que o desconselham e para os quais vários pilotos e oficiais oficiais da Força Aérea têm procurado chamar a atenção.
Um aeroporto na Ota tem dificeis acessos ferroviários e rodoviários que estão ainda muito longe de estar estudados.
Um aeroporto na Ota tem um impacto ambiental muito negativo. Em particular, a sua construção destroi uma área significativa de uma zona húmida que, em todo o território tem só 1 % do território nacional.


A meu ver, estas questões deviam ter excluido liminarmente o aeroporto da Ota em 1999. Em vez disso, a hipótese da Ota foi escolhida depois de excluido o Rio Frio com argumentos que nunca foram seriamente avaliados [e um deles, o do choque com aves, baseado em estudos risiveis como poderei provar] . Na sequência, a NAER, não foi capaz de apresentar um único argumento sério em favor da Ota e, sistematicamente, procurou ignorar as opiniões de técnicos e outros intervenientes que tinham opiniões críticas contrárias aos seus propósitos. Acho que foi um erro.

O problema tem-se mantido quase parado porque os estudos feitos com vista à construção do aeroporto da Ota só mostraram a dificuldade desta construção. De facto, estes estudos, em particular os dos acessos, estão hoje atrasadíssimos. Felizmente que, com o aparecimento da Internet, dos emails, dos blogues e com alguma ajuda da Comunicação Social, os críticos puderam falar directamente para o País que compreendeu que o assunto lhe dizia respeito. Foi assim que o problema da Ota se transformou num problema nacional.

Surgiu recentemente a alternativa do Alcochete e o LNEC vai apreciar as duas hipóteses tendo, necessáriamente, de se pronunciar sobre as questões atrás referidas e outras mais. É fundamental que o seu parecer e o relatório finais sejam considerados convincentes pelo País e, em especial, pelos que olham o problema com o saber e o sentir de engenheiros. É a condição essencial para chegarmos a um consenso nacional, que é possivel mas que já tarda, sobre esta matéria. Penso que, sobretudo nas questões relacionadas com o ponto 5 atrás citado, o LNEC deve estar atendo e ouvir as opiniões dos intervenientes que já se pronunciaram sobre o assunto.



2ª Intervenção



Não esqueço que estou estou numa cidade e numa região particularmente interessadas em conhecer o impacto local que poderá a localização do NAL. Para abordar o assunto há que relacionar a localização do NAL com o planeamento da rede ferroviária pois os dois assuntos estão intimamente ligados. É este assunto que me parece importante abordar aqui.

Começo por fazer um apelo à Comunicação Social. Evitem falar em TGVs e falem em linhas de bitola europeia. O nosso problema ferroviário é o de construir uma rede ferroviária que permita aos nossos comboios, sobretudo aos de mercadorias, entrarem em Espanha quando a Espanha mudar a bitola das suas linhas para a bitola europeia, o que está a fazer aceleradamente. Se o não fizermos, daqui a 15 ou 20 anos, os nossos comboios de mrercadorias não poderão sair do país. Se o fizermos, poderão ir até à Polónia. Teremos de ter em funcionamento, durante um largo periodo (mais de duas décadas) duas redes com duas bitolas. Mas as novas de bitola europeia não serão todas linhas TGV, no sentido de permitirem a passagem de comboios TGV. Umas serão e outras não. Mas mesmo nas linhas TGV circularão comboios que não são TGV.

Neste momento, o que vos proponho é um exercício. Admitam, como hipótese, que o aeroporto da Ota vai ser construido a que, daqui a 15 anos, estão concluidas as linhas TGV de Lisboa para o Porto, com passagem pela Ota, e de Lisboa a Badajoz, com as entradas em Lisboa que têm anunciadas (ponte para o Barreiro e entrada a Norte de Lisboa).

Qual será o trajecto ferroviário das mercadorias do Centro para a Europa? Poderão descer a Lisboa, atravessar o Tejo, passar por Badajoz, Madrid e Valladolid. Ou subir ao Porto e passar por Vigo e por cima de Bragança. Neste momento, está adiada para calendas gregas a linha fundamental para o desenvolvimento do Centro, a linha com 200 km de Aveiro a Vilar Formoso, que não tem, obviamente, de ser uma linha TGV mas tem de ser de bitola europeia.

António Brotas

quinta-feira, julho 05, 2007

Recebido do...

CES