segunda-feira, setembro 08, 2008

INATEL VAI TER IMAGEM mais moderna e novos centros


08.09.2008, Alexandra Campos

Dar "uma imagem de modernidade" à Fundação Inatel e "alargar a oferta dos bens e serviços" disponíveis para os associados são as prioridades do novo presidente da instituição, Vítor Ramalho, que é hoje empossado no cargo em Lisboa.
Desde Julho transformado numa fundação privada de utilidade pública, o Inatel (Instituto Nacional de Aproveitamento dos Tempos Livres) está agora liberto das "amarras que condicionavam a sua gestão e objectivos mais ousados e competitivos", sublinhou ao PÚBLICO o ex-deputado do PS, que pretende, durante o seu mandato de três anos, "aprofundar o intercâmbio com instituições dos países lusófonos".
Vítor Ramalho tenciona também analisar as taxas de ocupação dos centros de férias espalhados pelo país, sobretudo nas épocas baixas, e apostar na sua promoção, especialmente nos países nórdicos.
Com um orçamento de cerca de 65 milhões de euros em 2009, um valor idêntico ao deste ano, o Inatel deverá investir no próximo ano entre 7,5 a 10 milhões de euros, segundo adiantou entretanto à Lusa o presidente cessante da instituição, Alarcão Troni. O Inatel, acrescentou, está a ultimar vários projectos em parceria com municípios para a construção de dois hotéis e três novos centros de férias no continente (junto à Barragem da Aguieira, em Santa Comba Dão, na praia fluvial das Rocas, em Castanheira de Pêra, e na praia fluvial da Barragem do Azibo, Macedo de Cavaleiros), para além de 20 centros nos Açores.
Alarcão Troni revelou ainda que está "em fase de finalização um acordo" com o Refúgio Amboim Ascensão (Faro), uma organização não governamental de protecção de crianças desfavorecidas, para a criação de um centro de desporto e aventura "no melhor local de Portugal, a ilha de Faro".
Sem querer avançar com planos mais detalhados, até porque ainda está a analisar a situação da fundação, Vítor Ramalho reforça apenas que a sua prioridade é "modernizar a instituição e alargar as parcerias com autarquias e instituições culturais e desportivas, em Portugal e no estrangeiro".
Com cerca de 250 mil sócios, o Inatel é hoje o terceiro grupo hoteleiro do país. Tem um património avaliado em mais de 110 milhões de euros, incluindo prédios, terrenos e obras de arte. Fundado em 1935 como Fundação Nacional para Alegria no Trabalho (FNAT), foi transformado em instituto público depois do 25 de Abril de 1974, regressando agora à figura jurídica de fundação.
Vítor Ramalho deixa o seu lugar de deputado à Assembleia da República para se poder dedicar à presidência da Fundação Inatel


no Público, de hoje